Trabalho Foto: Divulgação.

O Samba do Crioulo Doido

Luiz de Abreu (Brasil)

Ao som de ritmos e ruídos tipicamente brasileiros, o coreógrafo Luiz de Abreu discute a discriminação racial contra o negro e a importância do corpo na construção da identidade. No cenário e nas mãos do bailarino, a bandeira do Brasil cria imagens sobre o preconceito, a partir de elementos estereotipados da cultura nacional, como samba, o carnaval e o erotismo.  O Samba é uma peça de resistência que devolve ao “corpo preto” o sujeito que lhe foi roubado, com sentimentos, crenças e singularidades. O mineiro Luiz de Abreu teve seus primeiros contatos com a dança em centros de umbanda. O samba faz parte do Centre Georges Pompidou em Paris e já foi apresentado em diversos países.

FICHA TÉCNICA:
Criação, direção, coreografia, figurino, cenário
 (Creation, direction, choreography, costume, scenery): Luiz de Abreu. Interpretação (Performance): Pedro Ivo Dos Santos. Trilha sonora (Soundtrack): Luiz de Abreu e Teo Ponciano. Iluminação (Lighting): Alessandra Domingues e Luiz de Abreu. Operação de Luz (Lighting Running): Décio Filho.
 

Recife 3 Nov 20:00 / 4 Nov 20:00 Duração: 40 min. 18 anos. Teatro Apolo Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife. Tel: +55 (81) 3355-3320/3321
English:

To the sound of rhythms and noise  typically Brazilian, the choreographer Luiz de Abreu discusses racial descriminations against black people and the importance of the body in the construction of identity. In the scenery and in the hands of the dancer, Brazil flag creates images about discrimination, from stereotyped elements from national culture, like samba, carnival and eroticism. Samba is an instrument of resistance that returns to the “black body” the subject which was stolen, through feelings, beliefs and singularities. Luiz de Abreu from Minas Gerais had his first contact with dancing in umbanda centers. Samba goes from Centro George Pompidou in Paris and was presented in several countries.